quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

7º OFICINA -TEXTO EM RITMO

GESTAR II-PASSOS-MG

Formadora: Raquel Lemos Paim de Lima

“...que o caminho seja brando a teus pés, o vento sopre leve em teus ombros. Que o sol brilhe cálido sobre a tua face, as chuvas caiam serenas em teus campos. E até que eu de novo te veja, que Deus te guarde na palma de sua mão.”

Inicialmente estudamos as características de gênero literário e de gênero não-literário; gênero poético, de acordo com a função estética da linguagem; formas de realização do gênero poético: o cordel. Foram apresentados os textos em ritmo “Tango” e “Cadilac” os quais foram interpretados e analisados em seus aspectos semânticos que sintetizam a narrativa, bem como as escolhas linguísticas e o tema. Após análise minuciosa as cursistas fizeram a reescrita do texto em prosa.
Posteriormente elaboraram outra narrativa com temas diversos, que deveriam ser apresentadas em Power Point.
Como tarefa de casa as cursistas foram orientadas a aplicar a atividade com seus alunos, que segundo elas ficaram entusiasmados.

Interpretação de texto em ritmo
Cursista: Joana D’Arc Silva dos Santos

TANGO

Mariazinha de Tranças e Zé dos Sapatos Lustrosos eram amantes. Ela trabalhava numa loja e vivia cuidando também da casa; de altura mediana, usava pouca pintura, saia justa e cuidava-se mais no sábado, era romântica e sonhadora. Ele, um rapaz alto, de bigode fino, brilhantina no cabelo, unha comprida, trazia sempre um pente e uma peixeira no bolso. Gostava de filmes de violência, um tipo malandro mesmo, vivia paquerando, mas sempre de olho em Mariazinha de Tranças.
Um dia, na loja em que ela trabalhava, apareceu um moço bonito, bancário, bem vestido, era o Toninho do Terno Cinza. Quando seus olhos se encontraram, foi paixão à primeira vista.
Tiveram um caso até que Zé dos Sapatos Lustrosos descobriu e tratou de dar um jeito na situação. Deu um sumiço em Toninho do Terno Cinza.
Mariazinha ficou inconformada, triste, chorosa e deprimida.
Zé dos Sapatos Lustrosos aproximou-se novamente de Mariazinha, levou-a na conversa e a enganou até concluir seu plano de vingar a traição.
Zé dos Sapatos Lustrosos matou Mariazinha de Tranças e foi preso.

(Bruna e Gabriela – 9º ano D1)

ROCK

(interpretação coletiva feita no curso)

Dora Furacão, moça alta, saia curta, esmalte vermelho, sempre mascando chiclete e cigarro na mão. Era vaidosa, não dispensava seus cremes, esnobava o Cadilac vermelho do namorado rico, dono de uma oficina, o Kidel Cadilac.
Durante o dia, era mocinha bem comportada, muito charmosa, que encantava com sua beleza arrebatadora.
Numa de suas idas à oficina do namorado, cruzou os olhos com os do funcionário Lauro Lataria, moço de meia altura, tipo sensual, com o macacão todo sujo de graxa; ele se encantou, mas será que ela trocaria o motor do Cadilac por uma bicicleta?
Surgem fofocas e comentários que se confirmaram com o envolvimento dos dois. Dora Furacão e Lauro Lataria eram amantes.
Kidel Cadilac tinha muita consideração por seu funcionário e amigo Lauro Lataria, que era de sua inteira confiança e não se conformou quando soube que Lauro Lataria e Dora Furacão tinham fugido e ainda por cima, levado seu Cadilac.

Professora Joana D’Arc Silva dos Santos
Escola E. Nossa Senhora da Penha – Passos (MG)

Texto feito para slides

Calça branca Maquiagem carregada
de cetim top bordado de lantejoula
blusa azul biquíni com franja
sapato branco sapato alto, plataforma
pandeiro na mão muito brilho no corpo
muita jinga e sedução. samba no pé.


Zé Bamba do Samba Maria Avenida

Trabalha duro. Estuda à noite.
É camelô. Trabalha em casa de família.
Mora no morro. Ensaios na quadra
Cuida da família. nos fins de semana.

Zé Bamba do Samba. Maria Avenida
Zé Bamba do Samba Maria Avenida
Zé Bamba Maria do Samba Avenida
Maria Zé Bamba Avenida do Samba

Zé Bamba do Samba e Maria Avenida

Sambando na Avenida
A cada ano
Na esperança de que sua escola de samba
Seja campeã.

Zé Bamba do Samba e Maria Avenida

Felizes para sempre...

Joana D’Arc Silva dos Santos (professora)
Escola E. Nossa Senhora da Penha – Passos (MG)

Relatório

Atividades – Interpretação de texto em ritmo

Uma atividade novamente aplicada em turmas de 9º ano da Escola E. Nossa Senhora da Penha.
O texto foi apresentado aos alunos e foi feita uma interpretação oral em função das características das personagens, da disposição, da pontuação e do contexto; tudo levou a uma interpretação em que houve algumas divergências. Alguns defendiam determinadas ideias, enquanto que outros faziam outras interpretações e até suposições.
As produções foram bastante interessantes, passando por quase todos os ritmos: samba, rock, sertanejo, funk, rap e até hip hop; fizeram também narrações interpretativas dos textos em ritmo apresentados.
Um trabalho em que a criatividade foi bem explorada pelos alunos.

Joana D’Arc Silva dos Santos - professora
Escola Estadual Nossa Senhora da Penha

Texto em Ritmo

Texto em Ritmo GESTAR II- PASSOS Formadora: Raquel Lemos Paim de Lima “...que o caminho seja brando a teus pés, o vento sopre leve em teus ombros. Que o sol brilhe cálido sobre a tua face, as chuvas caiam serenas em teus campos. E até que eu de novo te veja, que Deus te guarde na palma de sua mão.” Inicialmente estudamos as características de gênero literário e de gênero não-literário; gênero poético, de acordo com a função estética da linguagem; formas de realização do gênero poético: o cordel. Foram apresentados os textos em ritmo “Tango” e “Cadilac” os quais foram interpretados e analisados em seus aspectos semânticos que sintetizam a narrativa, bem como as escolhas lingüísticas e o tema. Após analise minuciosa as cursistas fizeram a reescrita do texto em prosa.
Posteriormente elaboraram outra narrativa com temas diversos, que deveriam ser apresentadas em Power Point.
Como tarefa de casa as cursistas foram orientadas a aplicar a atividade com seus alunos, que segundo elas ficaram entusiasmados.

Interpretação de texto em ritmo

TANGO

Mariazinha de Tranças e Zé dos Sapatos Lustrosos eram amantes. Ela trabalhava numa loja e vivia cuidando também da casa; de altura mediana, usava pouca pintura, saia justa e cuidava-se mais no sábado, era romântica e sonhadora. Ele, um rapaz alto, de bigode fino, brilhantina no cabelo, unha comprida, trazia sempre um pente e uma peixeira no bolso. Gostava de filmes de violência, um tipo malandro mesmo, vivia paquerando, mas sempre de olho em Mariazinha de Tranças.
Um dia, na loja em que ela trabalhava, apareceu um moço bonito, bancário, bem vestido, era o Toninho do Terno Cinza. Quando seus olhos se encontraram, foi paixão à primeira vista.
Tiveram um caso até que Zé dos Sapatos Lustrosos descobriu e tratou de dar um jeito na situação. Deu um sumiço em Toninho do Terno Cinza.
Mariazinha ficou inconformada, triste, chorosa e deprimida.
Zé dos Sapatos Lustrosos aproximou-se novamente de Mariazinha, levou-a na conversa e a enganou até concluir seu plano de vingar a traição.
Zé dos Sapatos Lustrosos matou Mariazinha de Tranças e foi preso.

(Bruna e Gabriela – 9º ano D1)

ROCK

(interpretação coletiva feita no curso)

Dora Furacão, moça alta, saia curta, esmalte vermelho, sempre mascando chiclete e cigarro na mão. Era vaidosa, não dispensava seus cremes, esnobava o Cadilac vermelho do namorado rico, dono de uma oficina, o Kidel Cadilac.
Durante o dia, era mocinha bem comportada, muito charmosa, que encantava com sua beleza arrebatadora.
Numa de suas idas à oficina do namorado, cruzou os olhos com os do funcionário Lauro Lataria, moço de meia altura, tipo sensual, com o macacão todo sujo de graxa; ele se encantou, mas será que ela trocaria o motor do Cadilac por uma bicicleta?
Surgem fofocas e comentários que se confirmaram com o envolvimento dos dois. Dora Furacão e Lauro Lataria eram amantes.
Kidel Cadilac tinha muita consideração por seu funcionário e amigo Lauro Lataria, que era de sua inteira confiança e não se conformou quando soube que Lauro Lataria e Dora Furacão tinham fugido e ainda por cima, levado seu Cadilac.

Professora Joana D’Arc Silva dos Santos
Escola E. Nossa Senhora da Penha – Passos (MG)

Texto feito para slides

Calça branca Maquiagem carregada
de cetim top bordado de lantejoula
blusa azul biquíni com franja
sapato branco sapato alto, plataforma
pandeiro na mão muito brilho no corpo
muita jinga e sedução. samba no pé.


Zé Bamba do Samba Maria Avenida

Trabalha duro. Estuda à noite.
É camelô. Trabalha em casa de família.
Mora no morro. Ensaios na quadra
Cuida da família. nos fins de semana.


Zé Bamba do Samba. Maria Avenida
Zé Bamba do Samba Maria Avenida
Zé Bamba Maria do Samba Avenida
Maria Zé Bamba Avenida do Samba


Zé Bamba do Samba e Maria Avenida

Sambando na Avenida
A cada ano
Na esperança de que sua escola de samba
Seja campeã.

Zé Bamba do Samba e Maria Avenida

Felizes para sempre...

Joana D’Arc Silva dos Santos (professora)
Escola E. Nossa Senhora da Penha – Passos (MG)


Relatório

Atividades – Interpretação de texto em ritmo


Uma atividade novamente aplicada em turmas de 9º ano da Escola E. Nossa Senhora da Penha.
O texto foi apresentado aos alunos e foi feita uma interpretação oral em função das características das personagens, da disposição, da pontuação e do contexto; tudo levou a uma interpretação em que houve algumas divergências. Alguns defendiam determinadas ideias, enquanto que outros faziam outras interpretações e até suposições.
As produções foram bastante interessantes, passando por quase todos os ritmos: samba, rock, sertanejo, funk, rap e até hip hop; fizeram também narrações interpretativas dos textos em ritmo apresentados.
Um trabalho em que a criatividade foi bem explorada pelos alunos.

Joana D’Arc Silva dos Santos - professora
Escola Estadual Nossa Senhora da Penha

*************************************************************************************
Atividade realizada na aula presencial do curso GESTAR.
Narrativa de “Mariazinha de Tranças e Zé dos sapatos lustrosos”.
Música nordestina.
Cursista: Adrine Lobato

Conta-se a história de Zé dos sapatos lustrosos,
moço alto, bigode fino e brilhantina no cabelo.
Levava sempre consigo um pente e uma peixeira.
E da romântica Mariazinha de Tranças,
moça de meia altura, usava sempre saia secretária,
pouca pintura, muito vaidosa.

Zé dos sapatos lustrosos levava uma vida folgada,
até que um dia viu Mariazinha passar.
Seu olhar malicioso caiu sobre suas pernas e tranças.
Mariazinha trabalhava, trabalhava e trabalhava e
sonhava com suas fotonovelas.
Zé dos sapatos lustrosos ocupava-se dos seus “trampos”
que incomodava a vizinhança.
Juntos levava uma vida assim, assim...

Até que um dia, entra na loja um rapaz muito bonito,
bem comportado, limpo e ... ban-cá-rio.
E ela se vê invadida por um estranho calor,
assim que seus olhos se cruzam com os de Toninho do Terno Cinza.
Toninho e Mariazinha não resistiram a forte atração,
ao desejo incontrolável e se entregaram
ao prazer momentâneo, passageiro. Depois disso
Toninho do Terno Cinza sumiu como fumaça.

Mariazinha, sozinha, triste e chorosa
volta para o Zé dos Sapatos Lustrosos, acreditando que
pudesse levar adiante sem revelar o seu segredo.
Vivem então uma noite de amor.
Porém, Zé já maquinava como lavar sua honra.
Empunhando sua peixeira, aos berros gritou:
__ “Sua vagabunda! Cê pensou que ia me enganar?”
e tirou a vida da bela Mariazinha indefesa.
Zé dos Sapatos Lustrosos perdeu sua vaidade e liberdade,
Foi direto para o xadrez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário